«Passou para a privada, mas mantém salário público! Intolerável» Paulo Morais

31.8.15


Paulo Neves (na imagem) é o novo presidente da PT (empresa PRIVADA), mas continua a receber salário da Agência para a Modernização Administrativa, instituto PÚBLICO a que presidiu. Passou para a privada, mas mantém 66 mil euros de rendimento público. É Intolerável.

Paulo Morais


Leia Mais ►

Mariana Mortágua arrasa! Quem são os grandes privatizadores?

30.8.15
Mariana Mortágua explica que as privatizações "não foram casuísticas, foram calculadas. Foram um projecto político e ideológico de reconstituição da burguesia portuguesa para voltar a dar às mesmas famílias o poder e o controlo sobre sectores estratégicos".

"As privatizações não são apenas um negócio ruinoso para os cofres públicos. Não são apenas prejudiciais à qualidade dos serviços. Não significam só facturas mais altas para os cidadãos. Elas condicionam, de facto, a capacidade de decisão nacional em sectores vitais para a economia e, portanto, a nossa soberania", avançou Mariana Mortágua.

Leia Mais ►

1 MÊS de reforma de Jardim Gonçalves sustentava creche durante 17 ANOS

23.8.15



O fundador do Banco Comercial Português, Jardim Gonçalves, recebe uma reforma mensal de 175 mil euros, com direito a motorista, guarda-costas e avião privado. Frei Fernando Ventura diz que apenas um mês dessa reforma dava para sustentar uma creche durante 17 anos.


video


ZITA PAIVA
Leia Mais ►

Caravelas, Naus e Galeões Portugueses - Choque tecnológico séc XVI

20.8.15
Realizámos este documentário (47 min.) que desvenda um mistério com 500 anos, dando a conhecer a razão pela qual as caravelas criadas pelos Portugueses são hoje comparadas a modernos space shuttle. O impacto desta inovação transformou Portugal na principal potência marítima e económica do século XVI.
Mas quando se lê um livro de História espanhol, inglês, francês ou holandês, as referências ao papel desempenhado pelos portugueses na época dos descobrimentos são insignificantes. Por essa razão quisemos saber a opinião dos melhores historiadores mundiais e os resultados foram surpreendentes.
“Caravelas e Naus – Um Choque Tecnológico nos séculos XV e XVI” ficou em 1º lugar entre 62 documentários num concurso do Discovery Channel, tendo sido emitido em vários continentes.




Portugal, nos séculos XIV, XV e XVI, foi o primeiro a iniciar a idade da descoberta, um século antes de Espanha e dois séculos antes de Inglaterra e Holanda.
Durante a época dos Descobrimentos, ousados e intrépidos marinheiros com nomes como; Bartolomeu Perestrelo, Gonçalves Zarco, Tristão Vaz Teixeira, Diogo de Silves, Diogo de Teive, Gonçalo Velho Cabral, Gil Eanes, Afonso Gonçalves Baldaia, Nuno Tristão, Dinis Dias, Álvaro Fernandes, Diogo Gomes, António da Nola, Duarte Pacheco Pereira, Antão Gonçalves, Pedro de Sintra, João de Santarém, Pedro Escobar, Lopo Gonçalves, Fernando Pó, Gaspar Corte Real, Miguel Corte Real,  Álvaro Martins Homem, João da Nova, Fernando Noronha, António Saldanha, Gonçalo Álvares, João Fernandes Lavrador, Pêro de Barcelos,  Diogo Cão,  Bartolomeu Dias, Vasco da Gama, Pedro Álvares Cabral, António Abreu, Francisco Serrão, Simão Afonso Bisagudo, João de Lisboa, Estevão Fróis,  Cristóvão de Mendonça(1), Gomes de Sequeira, Lourenço de Almeida, Tristão da Cunha, Afonso de Albuquerque, entre muitos outros(2), partiram por mares nunca navegados em busca do desconhecido.

Portugal país pequeno, na altura teria pouco mais de um milhão de habitantes, tornou-se, graças aos sacrifícios, engenho e arte de marear dos seus gloriosos marinheiros, na primeira potência marítima global.

(1) Cristóvão de Mendonça foi quem cartografou e mapeou a Austrália em 1522/25. Esta importante descoberta foi mantida em segredo por causa da cobiça e por não termos gente suficiente para a povoar. Foram já encontradas provas da nossa estadia na Austrália, através de artefactos de pesca, de dois canhões e de outros achados provenientes de Portugal.  Já depois da nossa chegada a Timor em 1511, consta que o navegador António de Abreu,  teria navegado até a essas terras, denominadas Ilha do Ouro.

(2) Na longa lista dos ousados marinheiros acima mencionada, há que notar também os feitos heróicos de mais dois cujos nomes todo o mundo conhece. Cristóvão Colombo e Fernão de Magalhães. Apesar dos seus relevantes serviços terem sido prestados à Espanha, é de referir que todos os seus conhecimentos náuticos, foram feitos em Portugal.
Leia Mais ►

Carta aberta ao ministro Pedro Mota Soares

"Senhor Ministro: isto é a completa miséria! Isto é muito pior que uma ditadura! Isto é muito pior que mandar matar! Isto é muito pior que Salazar!"


Lisboa, Abril de 2015


Exmo Sr. Ministro da Solidariedade, Emprego e Segurança Social,
Dr. Pedro Mota Soares,
Escrevo-lhe esta carta com uma enorme raiva. Vai, assim, perdoar-me um ou outro termo menos correcto para si, para os serviços do seu Ministério ou para os políticos e povo português de um modo geral.

Sou Pai de quatros filhos (um rapaz emigrado e três raparigas), todos já a viverem fora de casa, com as suas vidas encaminhadas; todos com algumas dificuldades financeiras, uma em “estágios” que duram há dois anos, mas todos trabalhadores esforçados, honestos e cumpridores das suas obrigações com o estado, com a sociedade onde estão integrados e pagadores de todas as dívidas assumidas. Nenhum tem empréstimos bancários, seja para imóvel, seja para crédito ao consumo. Nunca gastaram mais do que ganham.
Sou avô de quatro netos e 7/9 de outro que nos vai trazer felicidade a mim e à minha mulher de há 37 anos, juntamente com a minha filha e genro que esperam o seu terceiro filho.

Ontem, esta minha filha, psicóloga e funcionária autárquica, grávida de 7 meses com gravidez de risco, com o respectivo subsídio entregue desde Fevereiro pelos serviços que V. Exa dirige, foi a uma farmácia comprar um remédio para uma doença crónica do seu filho mais velho de 6 anos. O pagamento por multibanco não “passou”…foi a uma atm para levantar o dinheiro e recebeu, pela primeira vez, o recado de que a conta não estava disponível. Conta única pois o marido recebe o seu ordenado nesta mesma conta.

Deslocou-se ao banco tentando averiguar o que se passava. Resposta pronta: A Senhora tem a conta congelada por dívida à segurança social! Ficou surpreendida e muito envergonhada…
“O quê?! Impossível…”
– telefonou para a Segurança Social. Resposta: “tem uma dívida de 301,56 euros (78,09€ do mês de Abril de 2010, 99,38€ do mês de Outubro de 2010 e 124,09 de Outubro de 2013 por mudança de entidade patronal) e acrescem juros ultrapassando já os 700 euros. Marcaram reunião para hoje às 13:30, no atendimento geral da divisão (?) de gestão de dívidas (?).

Entretanto, em consulta aos documentos que tinha em seu poder, e que a SS, serviços dirigidos por V. Exa., também tinham, verificou que:
Em Abril de 2010 estava de baixa de risco da sua segunda filha, pelo que estava isenta de pagamento à SS!!! Em Outubro de 2010 estava de licença de parto dessa 2ª filha, pelo que estava isenta de pagamento à SS; em Outubro de 2013 a Junta de Freguesia de S. João, local onde trabalha há nove anos, foi integrada num conjunto de freguesias e, de acordo com a lei aprovada pelo Conselho de Ministros a que V. Exa pertence, o seu contrato de trabalho manteve-se pelo que não existe outra entidade patronal (como, aliás, seria evidente…mas das leis aprovadas neste país, o que é evidente às vezes torna-se absurdo…).
Chegou assim à conclusão que haveria um engano da SS e que seria fácil no dia seguinte resolver o problema!

Deslocou-se hoje à SS que faz a “gestão das dívidas”, acompanhada por mim, pois já não tinha dinheiro para os transportes, na Avenida da República. Foi atendida por uma senhora de seu nome Emília Gião que, quase de imediato reconheceu a inexistência da dívida, mas … a minha filha teria que preencher dois impressos (“requerimento genérico” e “pedido de regularização de dívida”) entregando fotocópias de todos os documentos comprovativos.

Ás perguntas que se seguiram foi respondendo:

P: - Desculpe, mas estes documentos já foram entregues à SS…onde vou agora tirar fotocópias?
R: - Se quer que o processo ande rápido este é o caminho. Existe uma empresa de fotocópias mesmo aqui perto…
P: - Olhe lá, eu não pretendo regularizar uma dívida que não tenho, pretendo corrigir um erro destes serviços … não tem um impresso para esse fim?”
R: - …risos…
P: - Explique-me como é que, numa alegada dívida de 301,56 euros, e recebendo eu de vocês um subsídio de gravidez de risco de perto de 500 euros, vocês me congelam a conta toda, com um saldo superior ao valor pretendido e sem qualquer aviso prévio?
R: - Nós mandamos congelar todas as contas em nome do devedor, independentemente do saldo e a senhora foi notificada em Setembro de 2014!
P: -????, notificada, eu?!
R: - Sim, a notificação não foi entregue – depois de consultar o computador – mas nós consideramos para todos os efeitos como se tivesse sido.
P: - Mas o que é que eu tenho que fazer para acabar com este martírio?!
R: - Pagar a dívida! Não a pagando, só lá para Setembro/Outubro terá a conta descongelada…
P: - Mas, como é que eu posso pagar essa alegada dívida se tenho a minha única conta congelada? E como vou fazer para pagar a renda de casa, a luz, a água, os remédios do meu filho, os transportes, o parto em Junho, tudo…como é que eu vou fazer?!
R: - Peça emprestado!

Entregámos a documentação e viemos embora … com muito mais raiva do que a que tínhamos quando entramos.

Senhor Ministro: isto é a completa miséria! Isto é muito pior que uma ditadura! Isto é muito pior que mandar matar! Isto é muito pior que Salazar! Isto é muito pior que incompetência!
Isto é o total desespero por saber que V. Exa. em nome do Estado Português, manda para a miséria uma família de 5 pessoas pouco importando se a Mãe dessa família está com uma gravidez de risco, porque esse facto, embora importante, não é o factor principal de raiva incontida …
A raiva é de nos sabermos impotentes para despedir V. Exa., todo o governo a que V. Exa pertence e todos os deputados desta pobre Nação que discutem o regresso da censura prévia para que ninguém saiba do estado a que isto chegou e, no final, ter uma pena enorme de todo este pobre povo que está com muito medo!
Sim, medo de ser despedido, medo de ser mal classificado pelo chefe, medo de perder o subsidio, medo de ser mal atendido no hospital, medo de ficar velho e morrer desamparado, medo do funcionário do fisco, medo do funcionário da segurança social, medo das rendas da EDP, medo das taxas, taxinhas e taxonas das autarquias, do IMI, do IUC, da taxa verde, do director e subdirector corrupto, do estágio sem garantia, do trabalho escravo, do futuro dos filhos e netos, …MEDO!!!

Obrigado por me ter deixado “desopilar”…
Melhores cumprimentos
Gaspar de S. Pinto
P.S. Por favor, partilhem.
Leia Mais ►

Voando sobre Ponte de Lima: A vila mais antiga de Portugal

Embarque nesta aventura sobre a vila mais antiga de Portugal, no coração do Alto Minho.
A ponte, que deu nome a esta nobre terra foi construída pelos romanos, da qual ainda resta um troço significativo na margem direita do Lima, sendo a medieval um marco notável da arquitectura, havendo muito poucos exemplos que se lhe comparem na altivez, beleza e equilíbrio do seu todo.


Leia Mais ►

Sócrates deu gorjeta de 900 milhões aos donos das PPP - Paulo Morais


"Para saber se há crime nas PPP, nem sequer é preciso fazer buscas a casa de ninguém, basta ler o Diário da Republica..."
A MAIOR VIGARICE QUE VI EM TODA A MINHA VIDA:
"Não conheço nenhum negócio que garanta a ninguém, durante 50 anos, um taxa de rentabilidade fixa entre 8 a 10%! Não é aceitável que um Estado democrático tenha cláusulas secretas", vincando que "não pode haver cláusulas secretas em contratos do Estado. Eu sei há muito tempo, por acaso, há quatro anos, que há cláusulas secretas nas PPP".  Paulo Morais

fonte: ZitaPaiva
Leia Mais ►