«Não é todos os dias que vimos 1 homem enfrentar gang de 15 elementos»

comentários
 ● 28.4.16
"O que mais eu podia fazer? Um deles pegou na pistola ainda dentro do restaurante, outro tinha uma faca." Mustafa, o turco de origem curda que é dono do restaurante Palácio do Kebab, na Rua D. Luís, em Lisboa, recordou ao DN como lidou com a invasão de "mais de 20 jovens violentos" na manhã de segunda-feira, pelas 07.30.


Mustafa: "Se não me defendesse morria ali"


Não gosto de violência, mas não é todos os dias que vimos um homem enfrentar um gang de 15 elementos com apenas uma espátula para virar carne. É de homem.

Marinho Neves

(Deixe o seu comentário...)
Veja mais

«O poder é hoje exercido não pelo povo, mas pelos grandes grupos económicos»

comentários
 ● 25.4.16


O regime democrático saído do 25 de Abril, neste ano em que comemora apenas 42 anos, está já moribundo. As liberdades conquistadas em 1974 parecem garantidas, como o direito de expressão e reunião. Mas a democratização prometida está longe de ser alcançada.

O poder é hoje exercido não pelo povo, mas pelos grandes grupos económicos, com predomínio dos financeiros, dos construtores e promotores imobiliários. As eleições não geram verdadeiras alternativas, apenas permitem a alternância no poder dos maiores partidos. A distribuição de benesses, cargos, “tachos”, é prática generalizada. A classe política usufrui, em democracia, de privilégios bem maiores do que no tempo da ditadura fascista.

O regime estruturou-se de forma a incentivar e promover a corrupção. Os escândalos sucederam-se com prejuízos incalculáveis: Expo 98, Euro 2004, BPN, BES, Banif, submarinos, Freeport, parcerias público-privadas…

Em termos económicos, então, foi o descalabro. Portugal poderia ser um país desenvolvido, com uma economia estruturada, mas o tecido produtivo, salvo raras excepções, é hoje muito débil. Apesar dos fundos a que o país teve acesso com a integração na Europa desenvolvida, nos anos 80. Esses apoios foram desviados e desbaratados. Os escassos recursos são hoje maioritariamente confiscados às empresas e cidadãos, através de impostos infindáveis.

Ao fim de quarenta anos, a vida em Portugal poderia ser tranquila, as famílias deveriam viver com conforto, dignidade e ternura. Mas o nosso quotidiano transformou-se numa permanente tortura.
25 Abril 2016.

Paulo de Morais
Veja mais

Cabo da Roca, o ponto mais ocidental da Europa continental

comentários
 ● 22.4.16
Vista aérea (6 min) do Cabo da Roca. Camões descreveu-o como o local "Onde a terra se acaba e o mar começa"


O Cabo da Roca é o ponto mais ocidental de Portugal continental, assim como da Europa continental. Situa-se na freguesia de Colares, concelho de Sintra e distrito de Lisboa. O local é visitável, não até ao extremo mas até uma zona à altitude de 140 m. O cabo forma o extremo ocidental da Serra de Sintra, precipitando-se sobre o Oceano Atlântico.

Luís Vaz de Camões descreveu-o como o local "Onde a terra se acaba e o mar começa" (in Os Lusíadas, Canto III). Um padrão em pedra com uma lápide assinalam esta particularidade geográfica a todos quanto visitam este local. A sua flora é diversa e, em muitos casos, tem espécies únicas, sendo objecto de vários estudos que se estendem, igualmente, à geomorfologia, entre outros.
Na zona existe um farol (Farol do Cabo da Roca) e uma loja turística. Está inserido no Parque Natural de Sintra-Cascais, numa zona de fáceis acessos e de grande afluência turística, sendo muitas as pessoas que o visitam. Ao Domingo é habitual a concentração de vários grupos de motociclistas.
fonte: Hélder Afonso/Portugal visto do Céu
Veja mais

Gonçalo Amaral vai processar os pais de Maddie McCann

comentários
 ● 20.4.16


Gonçalo Amaral passa ao contra-ataque, depois de o Tribunal da Relação de Lisboa o absolver no caso contra o casal McCann.



Gonçalo Amaral não vai ficar por aqui, revelou o seu advogado, Miguel Cruz Rodrigues, ao jornal Expresso. Por isso mesmo, vão entrar com um "pedido de indemnização contra os McCann". Na base da queixa estão os danos sofridos por Gonçalo Amaral, nomeadamente as perdas financeiras e também "o bom nome" que terá sido posto em causa.

Concorda com a decisão de Gonçalo Amaral de processar os pais de Maddie?
(Deixe o seu comentário)

veja: O Documentário PROIBIDO pelos McCann
Veja mais

Ricardo Araújo goza com o Bloco: «Ninguém leva a sério alguém que fale assim»

comentários
 ● 17.4.16
Imaginem que Catarina Martins segue à risca este preceito e um dia diz...



João Miguel Tavares, Pedro Mexia e Ricardo Araújo Pereira comentam o projecto de resolução, do BE, para mudar o nome do Cartão do Cidadão para Cartão de Cidadania.

a partir do minuto 40:30 ao 54:50


Imaginem que Catarina Martins segue à risca este preceito e um dia diz: "Portugueses e portuguesas, estamos aqui reunidos e reunidas porque estamos todos e todas preocupados e preocupadas com a questão dos desempregados e desempregadas", ninguém leva a sério uma pessoa que fale assim.
Ricardo Araújo Pereira, no governo sombra.
«Portuguesas e portugueses» é uma estupidez! Calem-se! (Miguel Esteves Cardoso)
Veja mais

Ricardo Araújo Pereira e as escutas a José Sócrates

comentários


Ricardo Araújo Pereira comenta escutas a José Sócrates.
(Governo Sombra)
Veja mais

O documentário PROIBIDO pelos McCann

comentários


Documentário baseado no livro de Gonçalo Amaral, "Maddie: A Verdade da Mentira".

O video (de 52 min) baseia-se em factos que constam no inquérito da investigação relativa ao desaparecimento de Madeleine mcCann e sustenta a tese de que não terá ocorrido rapto, mas a morte acidental da criança, seguida do respectivo encobrimento, através de ocultação do cadáver e da simulação do crime, pelos pais de Maddie: Gerald e Kate McCann.
______

Recorde-se que no dia 19 deste mês, o Tribunal da Relação de Lisboa rejeitou que o casal McCann pudesse ter sido ofendido pelo conteúdo do livro do ex-inspector da PJ Gonçalo Amaral sobre o desaparecimento de criança Madeleine McCann no Algarve, em 2007.

A conclusão consta do acórdão do Tribunal que revogou a sentença cível que obrigava Gonçalo Amaral a pagar 500 mil euros aos McCann, por danos causados ao casal britânico com a publicação do livro intitulado "Maddie: A Verdade da Mentira".

No acórdão, a que a agência Lusa teve acesso, os juízes desembargadores não vislumbram que os direitos do casal McCann possam ter sido ofendidos pelo conteúdo de um livro, que, no essencial, descreve e interpreta factos que estão no inquérito, cujo conteúdo foi publicitado.
Entretanto, Gonçalo Amaral anunciou que vai processar os McCann.
Veja mais

«Não é uma questão de género mas de gramática»

comentários

O PCP é contra a mudança de nome do Cartão de Cidadão para Cartão de Cidadania, como propôs o Bloco de Esquerda.


"É uma matéria claramente não prioritária", disse o deputado Jorge Machado, em declarações ao "Diário de Notícias", argumentando também que esta "não é uma questão de género mas de gramática".

Para o parlamentar comunista há um "conjunto vasto de problemas" com o Cartão de Cidadão, que são "mais importantes para resolver". Por exemplo, o seu custo para cada utilizador ou o facto de - ao contrário do que acontecia com o Bilhete de Identidade - não ser vitalício para os cidadãos com 70 anos ou mais.

Segundo contou ao DN, este problema já teve consequências nos últimos actos eleitorais, dado que muitos idosos não se tinham apercebido que o seu Cartão de Cidadão (que incorpora a valência de cartão de eleitor) estava caducado.

A mudança de nome foi proposta pelo BE. No preâmbulo do projecto de resolução, os bloquistas consideraram que a designação do cartão "não deve ficar restrita à formulação masculina, que não é neutra, e deve, pelo contrário, beneficiar de uma formulação que responda também ao seu papel de identificação afectiva e simbólica, no mais profundo respeito pela igualdade de direitos entre homens e mulheres". (fonte: economico.sapo.pt)

Concorda com a mudança de nome do Cartão de Cidadão para Cartão de Cidadania?
(Deixe o seu comentário)
Veja mais

Os 22 postos de Durão Barroso!

comentários
 ● 15.4.16


Mais de um terço dos comissários que fizeram parte do segundo executivo de Durão Barroso na Comissão Europeia aceitaram empregos em empresas e organizações que os colocam numa posição em que podem fazer lóbi à Comissão Europeia. Durão Barroso é quem acumula mais postos neste período pós-Comissão, pelo menos notificados, com 22 cargos em diferentes organizações.

Empresas, bancos, seguradoras, há de tudo um pouco – embora a maioria seja honorífica ou pró bono e a lista reflita os cargos autorizados pela própria Comissão Europeia. Mesmo assim, segundo o Corporate Europe Observatory, um grupo de análise que tem como objetivo expor ligações entre as empresas e os seus lóbis ao processo legislativo europeu, Durão Barroso é quem mais cargos acumula, mais que qualquer um dos 26 comissários.

Na lista de Durão Barroso estão vários postos em universidades – na Califórnia, Nova Iorque, Nova Jérsia, Washington, Genebra, Lisboa, Leuven, Macau -, que incluem cargos de professor visitante ou para dar seminários e palestras. Durão Barroso aparece ainda como membro da administração da Ópera de Madrid, chairman da Fundação da UEFA para Crianças e da fundação das Belas Artes de Bruxelas.


Os 22 postos de Durão Barroso:

  • Membro do Institute of Public Policy de Belgrado
  • Chairman da UEFA Foundation for Children
  • Professor visitante da Universidade de Princeton
  • Membro do conselho consultivo da McDonough Shool of Business, da Universidade de Georgetown.
  • Membro do conselho internacional da Ópera de Madrid
  • Membro da administração do The Europaeum
  • Membro do Steering Group das Conferências de Bilderberg
  • Actividades no Fórum Económico Mundial
  • Professor honorário do Instituto Politécnico de Macau
  • Membro do conselho consultivo do Women in Parliament
  • Membro honorário da administração da Fundação Jean Monnet para a Europa
  • Seminários e palestras na Universidade Católica de Leuven
  • Professor Visitante da Universidade Católica Portuguesa (Lisboa)
  • Eventos com o Speakers Bureau in Londres e Washington
  • Professor visitante da Universidade de Genebra
  • Seminários e palestras na Universidade de Genebra
  • Professor visitante do Graduate Institute of International and Development Studies de Genebra
  • Professor visitante na Universidade da Califórnia
  • Co-Presidente honorário do Centro Europeu para a Cultura
  • Já os 26 comissários registaram 117 cargos diferentes, dos quais 98 foram aprovados formalmente. Destes, 37 passaram pela comissão de ética para aprovação.
fonte:Observador
Veja: Durão Barroso: pensão vitalícia de 132 mil euros por ano!

Veja mais

«Espírito Santo tem capital em TREZENTAS off-shore» Paulo Morais

comentários
 ● 14.4.16



PANAMÁ PAPERS:

1. Se a família Espírito Santo tem capital em TREZENTAS sociedades off-shore feitas pela Mossack Fonseca, no Panamá, porque não utilizou esse capital para evitar a falência do BES?

2. Qual a exposição de créditos do Novobanco ao capital destas sociedades?

3. Porque não são (nem serão!) estas sociedades e o capital confiscados pelo Estado Português?

Paulo Morais

Veja mais